sexta-feira, 29 de novembro de 2013

CONSUMIDORES DEVEM FICAR ATENTOS ÀS COMPRAS ONLINE NO BLACK FRIDAY

Com o objetivo de evitar que o consumidor faça maus negócios durante a terceira edição do Black Friday, que acontece amanhã, o Procon de Blumenau alerta a população para a lista de sites não recomendados elaborada pelo órgão municipal. A lista está disponível no site da Prefeitura, na página do órgão de defesa do consumidor, no menu “Orientações ao Consumidor”. O Black Friday é uma liquidação, tradicionalmente americana, que oferece produtos com descontos de até 80% por 24 horas. Os sites que compõem a lista elaborada pelo Procon de Blumenau têm um grande número de reclamações e que também não disponibilizam as informações necessárias para que o próprio Procon possa entrar em contato no sentido de solucionar possíveis reclamações registradas pelos consumidores. O coordenador geral do órgão, Alexandre Caminha orienta que ao realizar compras on-line as pessoas precisam ficar atentas às novas regras sobre o comércio eletrônico. Uma regulamentação recente determina que sites brasileiros, os com domínio “.com.br”, apresentem em local de destaque na página informações como: nome da empresa, número de inscrição do fornecedor e endereço físico e eletrônico. “Buscar nos sites as informações que a nova legislação pede já é um bom filtro para saber se a empresa é idônea ou não”, afirma. Entretanto, para portais estrangeiros, o consumidor deve ter atenção redobrada, já que a legislação nacional não se aplica a eles. Caminha alerta ainda para os preços “mascarados”. Ele explica que ao comprar produtos oferecidos na promoção do Black Friday, o consumidor deve avaliar qual o preço normalmente praticado pelo comércio para não ser lesado por sites que onde o desconto não é real. “Em alguns casos, as lojas aumentam os valores antes da promoção iniciar, para a partir daí fornecer o desconto. Com isso, muitas vezes, o desconto real não equivale ao que está sendo divulgado”, conclui. Caso o consumidor constate alguma irregularidade cometida pelas lojas durante o Black Friday, ele deve juntar provas (impressão das informações expostas no site, por exemplo) e se dirigir até o Procon para registrar a reclamação. A infração de propaganda enganosa é passível de punição que pode variar em advertência, multa ou até a suspensão da atividade da empresa. Assessora de Comunicação: Talita Catie